Para implantar um aplicativo, você deve configurar a CAL. Quando você cria um modelo de blueprint, pode usar modelos de máquina virtual obtidos diretamente da biblioteca de um provedor de nuvem, além de uma biblioteca extensível de componentes e scripts de infraestrutura de aplicativo prontos para uso. Após criar um template de topologia de implantação de aplicativo, será possível criar dependências e editar configurações para finalizar o plano de execução. Depois de implantar o aplicativo, será possível também iniciar um processo de atualização para dimensionar nós clusterizados ou alterar a configuração ou o código dos aplicativos implantados quando uma nova versão estiver disponível.

As definições a seguir o ajudarão a compreender o fluxo de trabalho de provisionamento e atualização.

Principais componentes do CAL.

modelo de nuvem
O modelo de nuvem que contém uma imagem de máquina reutilizável predefinida que inclui um sistema operacional e dados. Quando você cria máquinas virtuais para seu ambiente de nuvem, as especificações e o software definidos nos templates de nuvem são aplicados à máquina virtual.
Tabela 1. Mapeamento de template de nuvem para ambientes de nuvem compatíveis
Ambiente do Application Services Ambiente de nuvem
Template de nuvem Modelo do Application Services
Blueprint do vRealize Automation
Imagem da máquina Amazon (AMI)
provedor de nuvem
Uma instância de nuvem para implantação. É possível definir vários provedores de nuvem para um tipo de provedor de nuvem.
Tabela 2. Mapeamento de provedor de nuvem para ambientes de nuvem compatíveis
Ambiente do Application Services Ambiente de nuvem
Provedor de nuvem Organização do vCloud Director

Grupo de negócios do vRealize Automation 6.1

Região do Amazon
tipo de provedor de nuvem
Tipo de infraestrutura de nuvem no qual as implantações podem ser feitas. O Application Services dá suporte somente ao vCloud Director, ao vRealize Automation e ao Amazon EC2.
ambiente de implantação
Um ambiente em um provedor de nuvem, por exemplo, desenvolvimento, teste, preparo e produção. Um provedor de nuvem pode ter vários ambientes de implantação.
Tabela 3. Mapeamento de ambiente de implantação para ambientes de nuvem compatíveis
Ambiente do Application Services Ambiente de nuvem
Ambiente de implantação Organização vDC do vCloud Director
Política de reserva do vRealize Automation
Amazon VPC

Para o vCloud Director, um ambiente de implantação mapeia para um datacenter virtual de organização (vDC) de um provedor de nuvem definido e usa recursos desse vDC. Um vDC de organização fornece recursos para uma organização e é particionada de um vDC provedor. Os vDCs de organização fornecem um ambiente onde os sistemas virtuais podem ser armazenados, implantados e operados. Eles também armazenam mídia virtual, como discos disquetes e CD ROMs. Uma única organização pode ter vários vDCs de organização.

Para o vRealize Automation, um ambiente de implantação mapeia para uma política de reserva. Se um ambiente de implantação não for selecionado, o vRealize Automation atribuirá uma política de reserva, dependendo dos requisitos de recursos da máquina virtual no blueprint do vRealize Automation.

Para o Amazon EC2, um ambiente de implantação mapeia para uma combinação de Nuvem Virtual Privada (VPC) do Amazon e uma das zonas de disponibilidade em uma região.

Principais componentes da biblioteca.

biblioteca
A biblioteca que contém os templates lógicos, que apontam para os templates de nuvem. Os serviços reutilizáveis que podem ser usados em vários aplicativos e instalados em uma máquina virtual. As tarefas que podem executar tarefas adicionais personalizadas em uma implantação de aplicativo.
serviço
O software criado a partir de script que pode ser instalado em uma máquina virtual e reutilizado em vários aplicativos.
serviços externos
Um serviço do aplicativo, como um balanceador de carga de hardware ou um banco de dados pré-instalado, que é instalado externamente à implantação do aplicativo. O aplicativo e o serviço externo devem ser configurados para funcionar em conjunto.
template lógico
Uma definição de máquina virtual predefinida no Application Services. Um modelo lógico pode ser mapeado para um modelo de nuvem real na biblioteca de nuvem e nos serviços compatíveis. Os templates lógicos permitem que um blueprint do aplicativo permaneça compatível com qualquer nuvem.
política
Um conjunto definido pelo usuário de definições para governar as operações do ciclo de vida do aplicativo. Por exemplo, uma política pode criar uma lista negra para o uso de determinados softwares baseada em diretrizes corporativas. As políticas são aplicadas quando são habilitadas em ambientes de implantação específicos por meio do uso de instâncias de políticas.
tarefas personalizadas
Do plano de execução, é possível adicionar tarefas personalizadas para executar tarefas personalizadas adicionais, como executar patches de segurança em uma implantação de aplicativo. É possível criar uma tarefa personalizada na biblioteca e adicioná-la a uma implantação do aplicativo. O Application Services também oferece tarefas predefinidas na biblioteca que é possível usar para configurar um repositório APT, um repositório YUM, cadastrar uma máquina com uma Rede Red Hat ou Ingressar em um domínio.
sistema operacional
Especifica um sistema operacional que a organização de TI suporta para templates lógicos e serviços. Uma lista de sistemas operacionais aparece no menu Sistemas operacionais e é possível adicioná-lo à lista.
tag
Organiza as listas de templates lógicos e serviços para aprimorar a legibilidade no editor de blueprints. Uma lista de tags aparece no menu Tags e é possível adicionar novas tags à lista.

Principais componentes do provisionamento de aplicativos.

aplicativo
Unidade de implantação lógica que define a relação entre os templates de sistema operacional, os componentes de aplicativo e seus serviços dependentes que podem ser distribuídos ao longo de várias máquinas virtuais.
componentes de aplicativo
Código personalizado usado como template para componentes, como os arquivos EAR, WAR e assim por diante. Eles são pacotes de script personalizados para as ações de instalação, configuração, inicialização, atualização, reversão e desinstalação em um nó ou serviço.
blueprint do aplicativo
Topologia lógica de uma implantação de aplicativo. Um blueprint captura a estrutura de um aplicativo com nós lógicos, seus serviços e sistemas operacionais correspondentes, dependências, configurações padrão e requisitos de topologia de rede e de armazenamento.
Máquina virtual definida no blueprint.
nó clusterizado
Cluster de máquinas virtuais definidas no blueprint.
discos
Discos adicionais a serem adicionados à máquina virtual ou nó correspondente.
propriedades
Pares de nome-valor de configuração para componentes de serviços e aplicativo. São variáveis usadas pelos scripts para definir parâmetros em um script e executar várias configurações. Por exemplo, é possível configurar o valor da propriedade installation_path e configurar scripts de instalação para usar essa propriedade para especificar o caminho a ser usado para instalar um serviço durante o processo de implantação de aplicativo.
ações
Os estágios do ciclo de vida para os scripts de instalação, configuração, inicialização, atualização, reversão e desinstalação para componentes de aplicativo e serviços a serem instalados.
armazenamento
Espaço fornecido pelo provedor de nuvem para posicionar o disco em diferentes armazenamentos para atender aos requisitos de desempenho.
perfil de implantação
Conjunto de configurações de implantação para um blueprint, incluindo tamanho do cluster, CPU, memória, templates de nuvem e redes.
rede lógica
Uma entidade criada como uma abstração lógica para uma rede. Uma rede lógica é uma abstração independente da nuvem, usada para indicar a localização da rede entre os nós em um aplicativo. Uma rede lógica é mapeada dinamicamente para uma rede de nuvem durante a configuração de um perfil de implantação.
rede de nuvem
Uma rede definida dentro de um ambiente de implantação de nuvem.
plano de execução
Plano de tarefas para visualizar a ordem na qual as máquinas virtuais são criadas e os scripts de ação de componentes de bibliotecas e de aplicativo são instalados, configurados, inicializados e atualizados. A ordem na qual um agente executa uma tarefa é definida no plano de execução de implantação.
desinstalação
Remoção das máquinas virtuais implantadas da nuvem. Por exemplo, você pode remover o vCloud Director vApp e as máquinas virtuais associadas, a máquina virtual do vRealize Automation e a máquina virtual associada nas instâncias no vCenter Server ou no Amazon EC2 de um aplicativo implantado do ambiente de nuvem. Depois que o processo de desinstalação for concluído, todos os outros recursos, como armazenamento e endereços IP usados por essas máquinas virtuais, serão devolvidos aos seus respectivos pools.