Os direitos controlam quais itens e ações estão disponíveis no catálogo de serviços para os membros do grupo de negócios selecionados. Um direito deve estar ativo para que os itens apareçam no catálogo de serviços. Se você tiver itens que requerem controle, poderá usar direitos para aplicar políticas de aprovação a diferentes itens.

Para configurar o direito, os itens de catálogo devem ser incluídos em um serviço. Os direitos podem incluir itens de catálogo de vários serviços.

Você deve considerar as interações entre os serviços, itens de catálogo, ações e aprovações ao criar um direito.

Serviços

Um serviço com direito funciona como um grupo dinâmico de itens de catálogo. Se um item de catálogo for adicionado a um serviço depois que o direito for atribuído a ele, o novo item de catálogo estará disponível para os usuários especificados sem nenhuma configuração adicional. Se você aplicar uma política de aprovação a um serviço, todos os itens, quando solicitados, estarão sujeitos ao mesmo processo de aprovação.

Itens

Os itens de catálogo com direitos atribuídos podem incluir qualquer um dos itens a seguir:

  • Itens de qualquer serviço que você deseja fornecer aos usuários com direitos, até mesmo serviços não incluídos no direito atual.

    Por exemplo, como administrador de catálogos, você associa várias versões diferentes do Red Hat Enterprise Linux a um serviço Red Hat e concede o direito ao serviço para os engenheiros de qualidade para o produto A. Depois, você recebe uma solicitação para criar itens de catálogo de serviço que inclui apenas a versão mais recente dos sistemas operacionais baseados em Linux para a equipe de treinamento. Você cria um direito para a equipe de treinamento que inclui as versões mais recentes dos outros sistemas operacionais em um serviço. Você já tem a versão mais recente do RHEL associada a outros serviços, então você adiciona o RHEL como um item de catálogo em vez de adicionar todo o serviço Red Hat.

  • Os itens estão incluídos em um serviço que, por sua vez, está incluído no direito atual, mas você deseja aplicar uma política de aprovação ao item de catálogo individual que é diferente da política que você aplicou ao serviço.

    Por exemplo, como gerenciador de grupos de negócios, você concede a sua equipe de desenvolvimento o direito a um serviço que inclui três itens de catálogo de máquina virtual. Você aplica uma política de aprovação que requer a aprovação do administrador de infraestrutura virtual para máquinas com mais de quatro CPUs. Uma das máquinas virtuais é usada para testes de desempenho, então você a adiciona como um item de catálogo e aplica uma política de aprovação menos restritiva ao mesmo grupo de usuários.

  • Itens que não estão disponíveis para os usuários do catálogo de serviços solicitarem por conta própria porque são componentes de um item configurável, mas para o qual você deseja aplicar uma determinada política de aprovação que é diferente do item de catálogo no qual está incluída.

    Por exemplo, um item inclui uma máquina e software. A máquina está disponível como um item configurável e tem uma política de aprovação que requer a aprovação do gerenciador de sites. O software não está disponível como um item autônomo e configurável, apenas como parte de uma solicitação da máquina, mas a política de aprovação para o software requer a aprovação do administrador de licenciamento de softwares da sua organização. Quando a máquina é solicitada no catálogo de serviços, ela deve ser aprovada pelo administrador do site e pelo administrador de licenciamento de softwares antes de ser provisionada. Após ser provisionada, a máquina com a entrada de software aparece na guia Itens do solicitante como parte da máquina.

Ações

As ações são executadas em itens de catálogo provisionados. Para provisionar um item de catálogo, você solicita o item no catálogo de serviços. Para executar ações em um item provisionado, a ação em questão deve estar incluída no mesmo direito que o item de catálogo que provisionou o item do catálogo de serviços.

Por exemplo, o direito 1 inclui uma máquina virtual vSphere e uma ação de criar snapshot; já o direito 2 inclui apenas uma máquina virtual vSphere. Quando você implanta uma máquina vSphere a partir do direito 1, a ação de criar snapshot está disponível. Quando você implanta uma máquina vSphere a partir o direito 2, não há ação. Para tornar a ação disponível para os usuários do direito 2, adicione a ação de criar snapshot ao direito 2.

Se você selecionar uma ação que não é aplicável a nenhum item do catálogo no direito, ele não aparecerá como uma ação na guia Itens. Por exemplo, seu direito inclui uma máquina vSphere e você concede o direito de uma ação destruir para uma máquina na nuvem. A ação destruir não está disponível para ser executada na máquina provisionada.

Você pode aplicar uma política de aprovação a uma ação que é diferente da política aplicada ao item de catálogo no direito.

Se o usuário do catálogo de serviços for membro de vários grupos de negócios, e um grupo tiver apenas o direito de ligar e desligar, e o outro tiver apenas o direito de destruir, esse usuário terá todas as três ações para a máquina provisionada aplicável.

Políticas de aprovação

Para aplicar uma política de aprovação ao criar o direito, a política já deve existir. Se ela não existir, você ainda poderá criar o direito e deixá-lo em um estado inativo ou de rascunho até criar as políticas de aprovação necessárias para os itens de catálogo e as ações nesse direito, aplicando então as políticas mais tarde.

Você não precisa aplicar uma política de aprovação a nenhum item ou ação. Se nenhuma política de aprovação for aplicada, os itens e as ações serão implantados quando solicitado, sem acionar uma solicitação de aprovação.