O vRealize Automation requer o banco de dados do appliance para a operação do sistema. Você pode gerenciar o banco de dados do appliance por meio da Interface de Gerenciamento de Appliance Virtual do vRealize Appliance.

Observação:

Essas informações somente se aplicam a implantações que usam um banco de dados de appliance incorporado. Elas não se aplicam a implantações que usam um banco de dados Postgres externo.

Você pode configurar o banco de dados como um sistema de nó único ou com vários nós para facilitar a alta disponibilidade por meio de failover. O banco de dados do appliance é configurado inicialmente quando você instala o vRealize Automation e não necessita de manutenção, a menos que uma configuração de máquina seja alterada ou, no caso de uma configuração de cluster, você precise promover um nó diferente como mestre.

Observação:

A configuração de cluster de banco de dados é definida automaticamente quando você une um virtual appliance ao cluster usando a operação Unir cluster. No entanto, é importante observar que o cluster de banco de dados não depende diretamente do cluster do appliance virtual. Por exemplo, uma máquina virtual unida a um cluster pode operar normalmente, mesmo que o banco de dados de appliance incorporado não esteja iniciado ou tenha falhado.

Uma configuração de cluster contém um nó mestre e um ou mais nós de réplica. O nó mestre é o nó do vRealize Automation appliance com o banco de dados mestre que oferece suporte à funcionalidade do sistema. Os nós de réplica contêm cópias do banco de dados que poderão ser levadas ao serviço se o nó mestre falhar.

Existem várias opções de banco de dados de appliance de alta disponibilidade. Escolher o modo de replicação é a opção de configuração de banco de dados mais importante. O modo de replicação determina como a implantação do vRealize Automation mantém a integridade dos dados e, para configurações de alta disponibilidade, como ela faz failover caso o nó mestre ou o nó primário apresente falha. Existem dois modos de replicação disponíveis: síncrono e assíncrono.

Ambos os modos de replicação oferecem suporte a failover de banco de dados, embora cada um tenha vantagens e desvantagens. Observe que para oferecer suporte ao failover de banco de dados de alta disponibilidade, o modo assíncrono requer pelo menos dois nós, enquanto o modo síncrono requer pelo menos três nós.

Modo de Replicação

Vantagens

Desvantagens

Síncrono

Minimiza a chance de perda de dados.

  • Pode afetar o desempenho do sistema.

  • Requer pelo menos três nós.

Assíncrono

  • Requer apenas dois nós.

  • Afeta o desempenho do sistema menos do que o modo síncrono.

Não é tão robusto quanto o modo síncrono na prevenção da perda de dados.

O vRealize Automation tem suporte para ambos os modos, mas opera em modo assíncrono por padrão e oferece alta disponibilidade somente se houver pelo menos dois nós de banco de dados de appliance. A guia Banco de dados na Interface de Gerenciamento de Appliance Virtual permite alternar entre os modos de sincronização e adicionar nós de banco de dados, conforme necessário.

Se você começar com um nó em uma configuração que não seja de alta disponibilidade, poderá adicionar nós mais tarde, conforme necessário para aprimorar a alta disponibilidade. Se você tiver o hardware apropriado e precisar de proteção máxima contra perda de dados, considere configurar a implantação para operar em modo síncrono.