Ajuste as configurações gerais, crie propriedades e desenvolva scripts de ação para instalar, configurar, atualizar ou desinstalar o componente de Software em máquinas provisionadas.

Como arquiteto de software, clique em Design > Componentes de software e clique no ícone Adicionar para criar um novo componente de Software.

Novas configurações gerais do Software

Aplique as configurações gerais ao componente de Software.

Tabela 1. Novas configurações gerais do Software

Configuração

Descrição

Nome

Insira um nome para o componente de Software.

ID

Usando o nome que você especificou para o componente de Software, o vRealize Automation cria um ID exclusivo no tenant para esse componente de Software. Você pode editar esse campo agora, mas, depois que o blueprint for salvo, ele não poderá mais ser mudado. Como os IDs são permanentes e exclusivos no seu tenant, eles podem ser usados para interagir de forma programática com os blueprints e para criar associações de propriedade.

Descrição

Faça um resumo do componente de Software para beneficiar outros arquitetos.

Contêiner

Na tela de criação, os arquitetos de blueprint só poderão colocar seu componente de Software dentro do tipo de contêiner que você selecionar.

  • Selecione Máquinas para exigir que os arquitetos coloquem seu componente de Software diretamente em um componente de máquina na tela de criação.

  • Selecione Componentes de software se estiver criando um componente de Software que nunca deve ser colocado diretamente em um componente de máquina, mas que pode ser aninhado dentro de um dos vários componentes de Software diferentes.

  • Selecione um componente de Software publicado específico se estiver criando um componente de Software especificamente para ser aninhado dentro de outro componente de Software que você criou.

Novas propriedades do Software

As propriedades do componente de Software são usadas para parametrizar scripts e para transmitir propriedades definidas como variáveis de ambiente para scripts em execução em uma máquina. Antes de executar os scripts, o agente de Software na máquina provisionada se comunica com o vRealize Automation para resolver as propriedades. O agente cria variáveis específicas de script dessas propriedades e as transmite para os scripts.

Tabela 2. Novas propriedades do Software

Configuração

Descrição

Nome

Insira um nome para a propriedade Software. Os nomes das propriedades diferenciam maiúsculas de minúsculas e podem conter apenas caracteres alfabéticos, numéricos, hífen (-) ou sublinhado (_).

Descrição

Para beneficiar outros usuários, resuma a propriedade e todos os requisitos para o valor.

Tipo

O Software oferece suporte para tipos de cadeia de caracteres, matriz, conteúdo, booliano e número inteiro. Para obter uma explicação detalhada dos tipos de propriedade com suporte, consulte Tipos de propriedade e opções de configuração. Para obter informações sobre associações de propriedades, consulte Quando seu componente de Software precisa de informações de outro componente e Criando associações de propriedades entre componentes de blueprint.

Valor

  • Para usar o valor que você fornecer:

    • Insira um Valor.

    • Selecione Necessário.

    • Desmarque Substituível.

  • Para exigir que os arquitetos forneçam um valor:

    • (Opcional) Insira um Valor para fornecer um padrão.

    • Selecione Substituível.

    • Selecione Necessário.

  • Permita que os arquitetos forneçam um valor ou deixe o valor em branco:

    • (Opcional) Insira um Valor para fornecer um padrão.

    • Selecione Substituível.

    • Desmarque Necessário.

Criptografado

Marque as propriedades como criptografadas para mascarar o valor e exibi-lo como asteriscos no vRealize Automation. Se você modificar uma propriedade de criptografada para não criptografada, o vRealize Automation reiniciará o valor da propriedade. Por segurança, você deve definir um novo valor para a propriedade.

Importante:

Se as propriedades forem impressas no script usando o comando echo ou outros comandos similares, os valores aparecerão em texto sem formatação nos arquivos de log. Os valores nos arquivos de log não são mascarados.

Substituível

Permita que os arquitetos editem o valor dessa propriedade durante a montagem do blueprint de um aplicativo. Se você inserir um valor, o mesmo será exibido como padrão.

Obrigatório

Exija que os arquitetos forneçam um valor para essa propriedade ou que aceitem o valor padrão fornecido.

Processadas

Valores para propriedades computadas são atribuídos pelos scripts de ciclo de vida INSTALAR, CONFIGURAR, INICIAR ou ATUALIZAR. O valor atribuído é propagado para as fases de ciclo de vida subsequentes disponíveis e aos componentes que se vinculam a essas propriedades em um blueprint. Se você selecionar Computada para uma propriedade que não é uma propriedade de cadeia de caracteres, o tipo de propriedade mudará para cadeia de caracteres.

Novas ações do Software

Você cria scripts de ação Bash, Windows CMD ou PowerShell para especificar exatamente como os componentes são instalados, configurados, desinstalados ou atualizados durante operações de dimensionamento de implantação.

Tabela 3. Ações de ciclo de vida

Ações de ciclo de vida

Descrição

Instalar

Instale seu software. Por exemplo, você pode baixar bits de instalação do servidor Tomcat e instalar um serviço Tomcat. Os scripts escritos para a ação de ciclo de vida Instalar são executados quando o software é provisionado pela primeira vez, seja durante uma solicitação de implantação inicial ou como parte de uma dimensionamento horizontal.

Configurar

Configure seu software. Para o exemplo do Tomcat, você pode definir JAVA_OPTS e CATALINA_OPTS. Scripts de configuração são executados após a conclusão da ação Instalar.

Iniciar

Inicie seu software. Por exemplo, você pode iniciar o serviço Tomcat usando o comando start no servidor Tomcat. Scripts de início são executados após a conclusão da ação Configurar.

Atualizar

Se você estiver projetando seu componente de software para dar suporte a blueprints dimensionáveis, lide com quaisquer alterações necessárias após uma operação de dimensionamento horizontal ou vertical. Por exemplo, você pode alterar o tamanho do cluster de uma implantação dimensionada e gerenciar os nós clusterizados usando um balanceador de carga. Projete seus scripts de atualização para execução várias vezes (idempotentes) e para lidar com casos de dimensionamento tanto vertical quanto horizontal. Quando uma operação de dimensionamento é realizada, os scripts de atualização são executados em todos os componentes de software dependentes.

Desinstalar

Desinstale seu software. Por exemplo, você pode realizar ações específicas no aplicativo antes de uma implantação ser destruída. Scripts de desinstalação são executados sempre que componentes de software são destruídos.

Marque a caixa de seleção Reinicializar para qualquer script que exija a reinicialização da máquina. Após a execução do script, a máquina é reinicializada antes de iniciar o próximo script de ciclo de vida. Verifique se nenhum processo está solicitando interação do usuário quando o script de ação estiver em execução. Interrupções pausam o script, fazendo com que ele permaneça indefinidamente em estado ocioso e acabe apresentando falhas mais cedo ou mais tarde. Além disso, seus scripts devem incluir códigos de saída apropriados que sejam aplicáveis ​​à implantação do aplicativo. Se o script não tiver os códigos de saída e de retorno, o último comando executado no script se tornará o status de saída. Códigos de saída e de retorno variam entre os tipos de script com suporte: Bash, Windows CMD ou PowerShell.

Tipo de script

Status de Êxito

Status de Erro

Comandos sem suporte

Bash

  • return 0

  • exit 0

  • return non-zero

  • exit non-zero

Nenhuma

Windows CMD

exit /b 0

exit /b non-zero

Não use códigos exit 0 ou exit non-zero.

PowerShell

exit 0

exit non-zero;

Não use chamadas warning, verbose, debug ou host.