Ao selecionar a opção Personalizar na guia Geral, você pode especificar informações sobre os membros do pool, como a porta em que os membros recebem tráfego, o tipo de protocolo que o balanceador de carga do NSX pode usar para acessar essa porta, o algoritmo usado para balanceamento de carga e configurações de persistência.

Por Que e Quando Desempenhar Esta Tarefa

Um pool representa um cluster das máquinas cujas cargas estão sendo balanceadas. Um membro de pool representa uma máquina nesse cluster.

As configurações padrão de protocolo de membro e porta de membro correspondem às configurações de protocolo e de porta na página Geral.

O pool de máquinas membros aparece no valor da opção Membro na interface de usuário do componente do balanceador de carga do blueprint. A entrada Membro está definida para o pool ou cluster de máquinas.

Procedimento

  1. (Opcional) A configuração de Protocolo de membro corresponde ao protocolo que você especificou na guia Geral. Essa configuração define como o membro do pool deve receber o tráfego de rede.
  2. (Opcional) Digite um número de porta na caixa de texto Porta de membro para especificar a porta na qual o membro do pool deve receber o tráfego de rede.

    Por exemplo, se a solicitação de entrada no endereço IP virtual (VIP) do balanceador de carga estiver na porta 80, convém rotear a solicitação para outra porta, por exemplo, a porta 8080, nos membros do pool.

  3. (Opcional) Selecione o método de balanceamento de algoritmos para este pool.

    As opções do algoritmo e os parâmetros do algoritmo para as opções que os requerem estão descritos na tabela a seguir.

    Opção

    Descrição e parâmetros do algoritmo

    ROUND_ROBIN

    Cada servidor é usado, por sua vez, de acordo com o peso atribuído a ele.

    Se o balanceador de carga foi criado em vRealize Automation, o peso é o mesmo para todos os membros.

    Esse é o algoritmo mais satisfatório quando o tempo de processamento do servidor permanece igualmente distribuído.

    Os parâmetros de algoritmo são desativados para essa opção.

    IP-HASH

    Seleciona um servidor com base em um hash do endereço IP de origem e do peso total de todos os servidores em execução.

    Os parâmetros de algoritmo são desativados para essa opção.

    LEASTCONN

    Distribui solicitações de cliente para vários servidores com base no número de conexões já existentes no servidor.

    As novas conexões são enviadas para o servidor que tiver o menor número de conexões.

    Os parâmetros de algoritmo são desativados para essa opção.

    URI

    A parte esquerda do URI (antes do ponto de interrogação) é hasheada e dividida pelo peso total dos servidores em execução.

    O resultado designa qual servidor recebe a solicitação. Isso garante que um URI sempre seja direcionado para o mesmo servidor, desde que nenhum servidor fique ativo ou inativo.

    O parâmetro do algoritmo do URI tem duas opções -- uriLength=<len> e uriDepth=<dep>. Insira os parâmetros de comprimento e profundidade em linhas separadas na caixa de texto Parâmetros do algoritmo.

    Os parâmetros de comprimento e profundidade são seguidos por um número inteiro positivo. Essas opções podem equilibrar servidores com base somente no início do URI.

    O parâmetro de comprimento indica que o algoritmo só deve considerar os caracteres definidos no início do URI para calcular o hash. O intervalo de parâmetros de comprimento deve ser 1<=len<256.

    O parâmetro de profundidade indica a profundidade máxima do diretório a ser usada para calcular o hash. Conta-se um nível para cada barra na solicitação. O intervalo de parâmetros de profundidade deve ser 1<=dep<10.

    Se ambos os parâmetros forem especificados, a avaliação para quando um dos parâmetros for atingido.

    HTTPHEADER

    O nome do cabeçalho HTTP é pesquisado em cada solicitação HTTP.

    O nome do cabeçalho entre parênteses não diferencia letras maiúsculas de minúsculas, o que é semelhante à função 'hdr()' das ACL.

    O parâmetro de algoritmo HTTPHEADER tem uma opção headerName=<name>. Por exemplo, você pode usar host como parâmetro do algoritmo HTTPHEADER.

    Se o cabeçalho estiver ausente ou não contiver qualquer valor, o algoritmo round robin será aplicado.

    URL

    O parâmetro URL especificado no argumento é pesquisado na cadeia de consulta de cada solicitação HTTP GET.

    O parâmetro de algoritmo URL tem uma opção urlParam=<url>.

    Se o parâmetro for seguido por um sinal de igual = e um valor, o valor será hasheado e dividido pelo peso total dos servidores em execução. O resultado designa qual servidor recebe a solicitação. Esse processo é usado para rastrear identificadores de usuário em solicitações e garantir que uma mesma ID de usuário seja sempre enviada para o mesmo servidor, desde que nenhum servidor fique ativo ou inativo.

    Se nenhum valor ou parâmetro for encontrado, aplica-se um algoritmo round robin.

  4. (Opcional) Selecione o método de persistência para este pool.

    A persistência rastreia e armazena os dados de sessão, como o membro do pool específico que atendeu a uma solicitação de cliente. Com persistência, as solicitações de cliente são direcionadas para o mesmo membro do pool durante a vida de uma sessão ou durante as sessões subsequentes.

    Protocolo

    Método de persistência suportado

    HTTP

    Nenhum, Cookie, IP de origem

    HTTPS

    Nenhum, IP de Origem e ID da sessão SSL

    TCP

    Nenhum, IP de origem, MSRDP

    UDP

    Nenhum, IP de origem

    • Selecione Cookie para inserir um único cookie de modo a identificar a sessão na primeira vez que um cliente acessar o site. O cookie é referenciado em solicitações subsequentes para persistir a conexão com o servidor adequado.

    • Selecione IP de origem para rastrear sessões com base no endereço IP de origem. Quando um cliente solicita uma conexão com um servidor virtual que oferece suporte à persistência de afinidade de endereço de origem, o balanceador de carga verifica se esse cliente já estava anteriormente conectado e, em caso positivo, o retorna ao mesmo membro do pool.

    • Selecione o ID da sessão SSL e selecione o padrão de tráfego HTTPS de passagem de SSL.

      • Passagem SSL - Cliente -> HTTPS -> LB (passagem SSL) -> HTTPS -> servidor

      • Cliente - HTTP-> LB -> HTTP -> servidores

      Observação:

      No momento, o vRealize Automation dá suporte apenas à passagem de SSL. O método de passagem de SSL é usado, independentemente da opção selecionada.

    • Selecione MSRDP para manter sessões persistentes entre clientes e servidores Windows que estão executando o serviço Área de Trabalho Remota, da Microsoft (RDP). O cenário recomendado para ativar a persistência de MSRDP é a criação de um pool de balanceamento de carga composto por membros que executam o Windows Server compatível, no qual todos os membros pertencem a um cluster do Windows e participam de um diretório de sessão do Windows.

    • Selecione Nenhum para especificar que as ações da sessão não são armazenadas para recall posterior.

  5. Se você estiver usando uma configuração de persistência do cookie, digite o nome do cookie.
  6. (Opcional) Selecione o modo pelo qual o cookie é inserido no menu suspenso Modo.

    Opção

    Descrição

    Inserir

    O NSX Edge envia um cookie.

    Se o servidor enviar um ou mais cookies, o cliente receberá um cookie extra (o(s) cookie(s) do servidor + o cookie do NSX Edge). Se o servidor não enviar um cookie, o cliente receberá o cookie do NSX Edge.

    Prefixo

    O servidor envia um cookie. Utilize essa opção se o seu cliente não suportar mais do que um cookie.

    Se você tiver um aplicativo proprietário usando um cliente proprietário que suporta apenas um cookie, o servidor da Web envia um cookie, mas o NSX Edge injeta (como prefixo) suas informações de cookie no valor do cookie do servidor

    Sessão do aplicativo

    O servidor não envia um cookie. Em vez disso, ele envia as informações da sessão do usuário como uma URL.

    Por exemplo, http://mysite.com/admin/UpdateUserServlet;jsessionid=X000X0XXX0XXXX, em que jsessionid representa as informações da sessão do usuário e é usada para a persistência.

  7. (Opcional) Insira o tempo de expiração da persistência para o cookie em segundos.

    Por exemplo, para o balanceamento de carga L7 com um IP de origem TCP, a entrada da persistência expira se não for feita nenhuma nova conexão TCP para o tempo de expiração especificado, mesmo que as conexões existentes ainda estejam em execução.

  8. (Opcional) Clique na guia Verificação de integridade e proceda para o tópico Definir as configurações de verificação de integridade do servidor virtual para continuar definindo o servidor virtual no componente do balanceador de carga do NSX.