Você pode injetar uma lógica personalizada em vários estágios predeterminados do ciclo de vida do IaaS tirando proveito de fluxos de trabalho de alteração de estado do IaaS, conhecidos como stubs de fluxo de trabalho. Você pode usar os stubs de fluxo de trabalho para chamar o vRealize Orchestrator para integração bidirecional com sistemas de gerenciamento externos.

Criar um fluxo de trabalho de alteração de estado permite que você acione a execução de um fluxo de trabalho antes que o fluxo de trabalho mestre do IaaS entre em um estado específico. Por exemplo, você pode criar fluxos de trabalho personalizados para integração com um banco de dados externo e registrar informações em diferentes fases do ciclo de vida da máquina.
  • Crie um fluxo de trabalho personalizado que seja executado antes do fluxo de trabalho mestre entrar no estado MachineProvisioned para registrar informações como proprietário da máquina, aprovadores e assim por diante.
  • Crie um fluxo de trabalho personalizado que seja executado antes de uma máquina entrar no estado MachineDisposing para registrar o momento em que ela foi destruída e também para registrar dados como sua utilização de recursos na última coleta de dados, no último logon e assim por diante.

As ilustrações do fluxo de trabalho mestre mostram os principais estados do fluxo de trabalho mestre, realçando em amarelo aqueles que você pode personalizar usando stubs de fluxo de trabalho do IaaS. A tabela Fluxos de trabalho de alteração de estado personalizáveis lista os stubs de fluxo de trabalho disponíveis, seu lugar correspondente no estado do fluxo de trabalho mestre e exemplos de lógica personalizada que você pode usar em cada estado para estender o ciclo de vida da máquina.

Figura 1. Estados de fluxo de trabalho mestre para o provisionamento de máquinas
Estados de fluxo de trabalho para o provisionamento de uma máquina
Figura 2. Estados de fluxo de trabalho mestre para a importação de máquinas
Estados de fluxo de trabalho para a importação de uma máquina
Figura 3. Estados de fluxo de trabalho mestre para a expiração da concessão de uma máquina
Estados de fluxo de trabalho mestre para a expiração da concessão de uma máquina
Figura 4. Estados de fluxo de trabalho mestre para o descarte de uma máquina
Estados de fluxo de trabalho mestre para o descarte de uma máquina
Tabela 1. Fluxos de trabalho de alteração de estado personalizáveis
Estado do fluxo de trabalho mestre Nome do fluxo de trabalho personalizável Exemplos de extensibilidade
BuildingMachine WFStubBuildingMachine

Faça preparativos para a máquina a ser criada no hipervisor. Crie um registro de banco de dados de gerenciamento de configuração (CMDB), chame um sistema externo para atribuir um endereço IP a uma máquina e, em seguida, durante o descarte da máquina, use WFStubMachineDisposing para retornar o endereço IP ao pool.

RegisterMachine WFStubMachineRegistered

Adicione uma máquina importada a uma ferramenta de provisionamento de aplicativo para receber atualizações e passar por verificações de conformidade.

MachineProvisioned WFStubMachineProvisioned

A máquina existe no hipervisor, e qualquer outra personalização adicional é concluída nesse ponto, por exemplo, personalizações de agentes guests. Use esse stub de fluxo de trabalho para atualizar um registro de banco de dados de gerenciamento de configuração (CMDB) com um endereço IP DCHP e informações de armazenamento. As personalizações feitas com WFStubMachineProvisioned são geralmente revertidas com WFStubUnprovisionMachine.

Expired WFStubMachineExpired

Mova uma máquina expirada para um armazenamento de baixo custo para reduzir os custos de arquivamento e atualize o registro do CMDB e o sistema de faturamento de forma a refletir as alterações de armazenamento e custo.

UnprovisionMachine WFStubUnprovisionMachine

Remova máquinas de contas do Active Directory. As personalizações feitas com WFStubMachineProvisioned são geralmente revertidas com WFStubUnprovisionMachine.

Descarte WFStubMachineDisposing

Retorne endereços IP ao pool.