Ao criar seu script para uso no vRealize Orchestrator, você deve verificar se o seu script tem a estrutura e a formatação corretas.

Tempo de execução com suporte

A partir do vRealize Orchestrator 8.1, você pode usar os seguintes tempos de execução:

  • Python 3,7
  • Node.js 12
  • PowerCLI 11/Powershell 6.2
  • PowerCLI 12/Powershell 7
    Observação: O tempo de execução do PowerCLI inclui o PowerShell e os seguintes módulos: VMware.PowerCLI, PowerNSX, PowervRA.

Você pode adicionar qualquer código-fonte personalizado aos novos tempos de execução, mas para aceitar contexto e entradas e retornar um resultado do e para o mecanismo do vRealize Orchestrator, você deve seguir o formato funcional correto.

Recomendações de script

Para tarefas de script mais simples, você pode adicionar elementos de Tarefa programável por script ao seu esquema de fluxo de trabalho. Você pode usar ações do vRealize Orchestrator para tarefas de script mais complexas.

O uso de ações fornece dois benefícios específicos:

  • As ações podem ser criadas, atualizadas, importadas e exportadas de forma independente dos fluxos de trabalho.
  • As ações são objetos independentes que podem ser executados e depurados no próprio ambiente, o que pode levar a um processo de desenvolvimento mais fácil. Consulte o Ações de depuração e execução.

Requisitos de Função de Script

O nome padrão para a sua função de script é manipulador. A função aceita dois argumentos, contexto e entrada. Context é um objeto de mapa, contendo informações do sistema. Por exemplo, vroURL pode conter a URL da instância do vRealize Orchestrator que você deseja chamar, enquanto executionId contém o ID do token de uma execução de fluxo de trabalho.

Uma entrada é um objeto de mapa que contém todas as entradas fornecidas para as ações. Por exemplo, se você definir uma entrada em sua ação chamada myInput, poderá acessá-la no argumento de entradas, como inputs.myInput ou inputs["myInput"], dependendo do seu tempo de execução. Qualquer coisa que você retornar da função é o resultado da ação. Portanto, o tipo de retorno de sua ação deve corresponder ao tipo de conteúdo que o script retorna no vRealize Orchestrator. Se você retornar um número primitivo, o tipo de retorno de ação deverá ser um tipo de número. Se você retornar uma cadeia de caracteres, o tipo de retorno da ação deve ser um tipo de cadeia de caracteres. Se você retornar um objeto complexo, o tipo de retorno deverá ser mapeado para Properties ou Composite Type. Esses mesmos princípios também se aplicam a matrizes.

Tipos de parâmetro de entrada e saída com suporte para tempos de execução Python, Node.js e PowerShell:

  • String
  • Number
  • Boolean
  • Date
  • Properties
  • Composite Type

Definir o Manipulador de Entrada

Por padrão, o valor do manipulador de entrada é handler.handler. Esse valor significa que o mecanismo do vRealize Orchestrator procura um arquivo de nível superior no seu pacote ZIP chamado handler.py, handler.js, ou handler.ps1, que inclui uma função chamada handler. Quaisquer diferenças nos nomes da função e do arquivo manipulador devem ser refletidas no valor do manipulador de entrada. Por exemplo, se o manipulador principal é chamado index.js e sua função é chamada callMe, você deve definir o valor para o manipulador de entrada para index.callMe.

Depurar Scripts de Tempo de Execução em um IDE Externo

vRealize Orchestrator oferece suporte à depuração de scripts do Python e Node.js em um IDE externo. Não é possível depurar scripts do PowerShell em um IDE externo.