Este artigo descreve a arquitetura do sistema do Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior, que depende dos pods do Kubernetes em execução nos nós primários e de trabalhador de um cluster. Ele explica como essa arquitetura oferece suporte a recursos de alta disponibilidade para nós e recursos de tolerância a falhas para os principais serviços do Horizon Cloud Connector, incluindo a Licença Universal do Horizon.

A partir da versão 2.0, o Horizon Cloud Connector oferece suporte para clusters de dois nós, alta disponibilidade no nível do nó e tolerância a falhas no nível de serviço. No Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior, todos os serviços são executados como pods do Kubernetes em nós.

Observação: Esta versão oferece suporte a clusters de nó duplo, alta disponibilidade no nível do nó e tolerância a falhas no nível do serviço apenas para dispositivos emparelhados com os seguintes tipos de pods:
  • Pods do Horizon implantados no local
  • Pods do Horizon implantados no VMware Cloud on AWS com arquitetura tudo no SDDC

Os pods do Horizon implantados em outros ambientes oferecem suporte a clusters de nó único que consistem em um nó primário apenas e não oferecem suporte à alta disponibilidade no nível do nó e à tolerância a falhas de nível de serviço.

O que é um cluster Horizon Cloud Connector?

Um cluster Horizon Cloud Connector consiste nos seguintes membros:

  • O nó primário do dispositivo virtual do Horizon Cloud Connector
  • O nó de trabalhador do dispositivo virtual do Horizon Cloud Connector

No mínimo, um cluster deve conter o nó primário como um membro. Você pode adicionar e remover um nó de trabalhador a/de um cluster existente que contenha o nó primário.

O que é um nó primário?

O nó primário é a máquina virtual (VM) do dispositivo do Horizon Cloud Connector que executa os serviços de camada de controle necessários para gerenciar o cluster Horizon Cloud Connector.

O nó primário também executa a instância primária dos seguintes serviços:

  • Serviços de aplicativo do Horizon Cloud Connector, que abrangem os seguintes serviços, conforme listado no portal de configuração do dispositivo:
    • Serviço do Connector Client
    • Serviço do Proxy de Nuvem
    • Serviço de Proxy do Servidor de Conexão
  • Serviço do Cloud Broker Client (CBCS), que oferece suporte ao Universal Broker
  • Serviço de Monitoramento do Servidor de Conexão (CSMS)
  • Serviço de Localidade de Imagem (ILS), que oferece suporte ao Serviço de Gerenciamento de Imagens do Horizon opcional
  • Serviços disponibilizados após a integração do seu tenant do Horizon Cloud à Plataforma de envolvimento VMware Cloud Services. Para obter mais informações, consulte Integração do seu tenant do Horizon Cloud ao VMware Cloud Services Engagement Platform e ao VMware Cloud Services usando o Horizon Universal Console.

Para implantar um nó primário e emparelhá-lo com seu pod do Horizon, siga as diretrizes descritas em Fluxo de trabalho de alto nível quando você está integrando um pod do Horizon existente implantado em um VMware SDDC como seu primeiro pod para o ambiente de tenant do Horizon Cloud.

O que é um nó de trabalhador?

O nó de trabalhador é uma VM secundária do dispositivo do Horizon Cloud Connector que executa instâncias de réplica dos seguintes serviços:

Adicionando um nó de trabalhador ao cluster Horizon Cloud Connector, você pode dimensionar verticalmente esses serviços para oferecer suporte a cargas de trabalho maiores, que têm balanceamento de carga nas instâncias primárias e de réplica dos serviços. Se você remover o nó de trabalhador do cluster, os serviços serão reduzidos verticalmente para uma única instância em execução no nó primário.

Observação: Nesta versão, o nó de trabalhador oferece suporte apenas a instâncias de réplica dos serviços de aplicativo do Horizon Cloud Connector. Todos os outros serviços, incluindo CBCS, CSMS, ILS e serviços de gerenciamento de cluster, são executados como uma única instância no nó primário.

Para implantar um nó de trabalhador, siga as etapas descritas em Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior: adicionar um nó de trabalhador a um cluster Horizon Cloud Connector. Para remover o nó de trabalhador de um cluster, siga as etapas descritas em Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior: remover o nó de trabalhador de um cluster Horizon Cloud Connector.

O que é alta disponibilidade no nível do nó e como ela funciona?

Para obter informações completas, consulte Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior: configurar alta disponibilidade no nível de nó.

Como a tolerância a falhas no nível de serviço funciona em diferentes cenários de interrupção?

Esta seção descreve como um cluster Horizon Cloud Connector de nó duplo oferece suporte à tolerância a falhas e à disponibilidade contínua da Licença Universal do Horizon sob várias condições de interrupção.

Observação: Nesta versão, o Horizon Cloud Connector oferece suporte apenas à tolerância a falhas para os serviços de aplicativo do Horizon Cloud Connector, conforme detalhado na seção anterior. Todos os outros serviços são executados como uma única instância no nó primário e se tornarão indisponíveis se essa única instância falhar.
  1. Se um serviço de estrutura falhar

    Conforme descrito anteriormente, os serviços de estrutura do Horizon Cloud Connector (Serviço do Connector Client, Serviço de Proxy de Nuvem, Serviço de Proxy do Servidor de Conexão) são executados como instâncias duplas nos nós primário e de trabalhador. Se um serviço de estrutura falhar em um nó, a instância de réplica desse serviço continuará sendo executada no outro nó para garantir o funcionamento completo dos serviços de estrutura do Horizon Cloud Connector e da Licença Universal do Horizon.

    Por exemplo, se o Serviço de Proxy de Nuvem falhar no nó primário, a instância de réplica do Serviço de Proxy de Nuvem no nó de trabalhador continuará sendo executada. Os serviços de estrutura totalmente operacionais garantem que o serviço de licença do Horizon Cloud possa continuar a executar a sincronização com o pod a cada 24 horas.

  2. Se o nó de trabalhador falhar
    Observação: Este cenário de interrupção só será aplicável se você não tiver configurado a alta disponibilidade no nível do nó. Quando você configura a alta disponibilidade no nível do nó, conforme descrito em Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior: configurar alta disponibilidade no nível de nó, a alta disponibilidade do vSphere garante a alta disponibilidade do nó do trabalhador.

    Se todo o nó de trabalhador parar de funcionar, todos os serviços continuarão a ser executados sem interrupção como instâncias únicas no nó primário e a Licença Universal do Horizon permanecerá totalmente operacional.

    Os serviços de aplicativo do Horizon Cloud Connector serão reduzidos verticalmente temporariamente até que o nó de trabalhador seja restaurado em operação total.

  3. Se o nó primário falhar
    Observação: Este cenário de interrupção só será aplicável se você não tiver configurado a alta disponibilidade no nível do nó. Quando você configura a alta disponibilidade no nível do nó, conforme descrito em Horizon Cloud Connector 2.0 e posterior: configurar alta disponibilidade no nível de nó, a alta disponibilidade do vSphere garante a alta disponibilidade do nó primário.

    Se todo o nó primário parar de funcionar, a Licença Universal do Horizon entrará em um período de cortesia de sincronização de 25 dias. Durante esse período, a licença permanecerá válida, e o pod permanecerá totalmente operacional. Para obter mais informações, consulte Monitoramento da Licença Universal do Horizon.

    Você pode continuar a monitorar e realizar tarefas administrativas no pod usando o Horizon Universal Console. No entanto, aplicam-se as seguintes limitações:

    • O cluster Horizon Cloud Connector entra em estado de erro.
    • Não é possível acessar o portal de configuração do Horizon Cloud Connector por meio do nó de trabalhador.
    • O Universal Broker, o Cloud Monitoring Service e o Serviço de Gerenciamento de Imagens do Horizon tornam-se temporariamente indisponíveis.